27.2.15

Os 10 melhores livros que já li

Olá, galera. Hoje fiquei encarregada de uma missão gostosa, mas, ao mesmo tempo complexa para se fazer. Todo mundo sabe que a minha maior paixão são os livros, e já devo ter lido uns mil até hoje, visto que todo ano estabeleço uma meta literária para mim mesma.
Portanto, é muito difícil escolher os dez melhores livros. Mas vamos lá:


1. O Fantasma da Ópera – Gaston Leroux

        Esse, sem dúvidas, é o melhor livro que já li na vida. Conta a história de uma noite de gala em Paris, em que os Srs. Debienne e Poligny se despedem do cargo de diretores da Ópera. Porém, nos corredores do teatro, há uma figura misteriosa que caminha como uma sombra, mas que sempre desaparece quando vista. Coisas estranhas acontecem a todo instante e, no subsolo, o maquinista-chefe da Ópera é encontrado morto. Esse é o mistério que os antigos diretores deixam a Armand Moncharmim e Firman Richard: a presença enigmática do fantasma da Ópera nos aposentos do teatro. Ao ignorar os caprichos do Fantasma, os novos diretores precisam aprender a lidar como uma série trágica de eventos que tem seu ápice com o desaparecimento da grande estrela lírica Christine Daaé. É aí, no clima envolvente de suspense, terror e drama, que somos guiados à sombria história do subsolo da Ópera de Paris.


         Detalhe importante: este é um dos únicos filmes que corroboram com os livros e não deixam nada a desejar.



2. Dom Casmurro -  Machado de Assis

       Este é mais um clássico da Literatura que não poderia deixar de ser citado. Sou muito fã da escrita de Machado de Assis, mas esse livro se supera na riqueza de detalhes e de suspense em torno da possível infidelidade de Capitu, a tão enigmática moça dos olhos de ressaca.

       Editado pela primeira vez em 1900, o romance foi escrito e pensado para ser publicado originalmente em livro, e não em capítulos nos jornais. Concebido com o cuidado de uma obra- prima, Dom Casmurro é um dos mais importantes e representativos romances da literatura universal, um clássico que não se pode deixar de ler.



3O menino do pijama listrado – John Boyne


      O Menino do Pijama Listrado - Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus. Também não faz idéia que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e a mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e para além dela centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com frio na barriga.


    Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. O menino do pijama listrado é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.
     Considero esse um dos melhores livros porque retrata uma história real de sofrimento, algo que muitos nunca pararam para prestar atenção.


4. O diário de Anne Frank – Anne Frank

       Esse livro é a história do depoimento da pequena Anne Frank, morta pelos nazistas após passar anos escondida no sótão de uma casa em Amsterdã. Seu diário narra os sentimentos e medos de uma menina judia que, junto de sua família, lutou em vão para sobreviver ao Holocausto.
          Esse livro foi um dos primeiros que li, e um dos que mais me emocionou durante todo o tempo de leitora, justamente porque conta às novas gerações os horrores da perseguição aos judeus durante a Segunda Guerra Mundial, fato não muito evidente para alguns.



5. O pequeno príncipe – Antoine de Saint-Exupéry

     Um rei pensava que todos eram seus súditos, apesar de não haver ninguém por perto. Um homem de negócios se dizia muito sério e ocupado, mas não tinha tempo para sonhar. Um bêbado bebia para esquecer a vergonha que sentia por beber. Um geógrafo se dizia sábio, mas não sabia nada da geografia do seu próprio país. Assim, cada personagem mostra o quanto as “pessoas grandes” se preocupam com coisas inúteis e não dão valor ao que merece.


   Tenho esse livro como xodó porque ele transmite os verdadeiros ensinamentos que todo ser humano deve aprender, tendo como lema o amor e a amizade pelo próximo. Dei esse livro de presente a um ex-namorado e à uma grande amiga, justamente por considerar que todo mundo que se dê ao respeito deva aprender uma lição com essa história.


 
6. O morro dos ventos uivantes – Emily Brontë
 O morro dos ventos uivantes, obra que já foi adaptada para cinema, é a história de uma paixão intensa e tempestuosa. Acompanhando a vida de seus protagonistas, os anti-heróis Heathcliff e Catherine, desde pequenos, testemunhamos a força destrutiva do amor.




7. Noite na Taverna – Álvares de Azevedo

Este livro é um clássico da literatura e proporciona ao leitor uma viagem ao mundo fantástico da melancolia e morbidez que caracterizam a época em que viveu Álvares de Azevedo. Numa taverna, um grupo de conhecidos reúne-se para espantar o tédio com o vinho nos lábios e contos macabros afluindo da mente.






8. Leite derramado – Chico Buarque
Um homem muito velho está num leito de hospital. Membro de uma tradicional família brasileira, ele desfia, num monólogo dirigido à filha, às enfermeiras e a quem quiser ouvir, a história de sua linhagem desde os ancestrais portugueses, passando por um barão do Império, um senador da Primeira República, até o tataraneto, garotão do Rio de Janeiro atual. Percorre todo o livro a paixão mal vivida e mal compreendida do narrador por uma mulher. Os múltiplos traços de Matilde, seu "olhar em pingue-pongue", suas corridas a cavalo ou na praia, suas danças, seus vestidos espalhafatosos, ao mesmo tempo que determinam a paixão do marido e impregnam indelevelmente sua lembrança, ocasionam a infelicidade de ambos. Embora vista de forma indireta e em breves flashes Matilde se torna, também para o leitor, inesquecível.
Já li a todos os livros do Chico Buarque porque sou realmente sua fã incondicional, tanto da música quanto da escrita. Mas nada se compara a Leite Derramado que se destaca como o melhor de seus livros.


9. O milagre – Nicholas Sparks

    O livro "O milagre" de Nicholas Sparks conta uma história de Jeremy Marsh, um respeitado jornalista que não consegue emplacar um relacionamento afetivo que o faça feliz. Acostumado a viajar pelo mundo à cata de lendas urbanas, Jeremy parte em direção a uma cidadezinha do sul dos Estados Unidos para investigar as misteriosas luzes de um antigo cemitério escravo que teria sido alvo de uma maldição. 
Lá ele conhece a bela Lexie Damell, que irá ajudá-lo em sua fantasmagórica missão. Prestes a descobrir um segredo que poderá abalar os alicerces da comunidade, esse implacável destruidor de mitos terá de se confrontar com o único fenômeno que considera genuinamente misterioso e sobrenatural: uma paixão. Falando dos riscos que devemos correr e dos caminhos ditados pelo coração, O milagre fará com que você também acredite no amor". 

Considero esse livro como um dos meus prediletos pelo fato de contar uma verdadeira história de amor, capaz de vencer até mesmo a doença.


10. O primo Basílio – Eça de Queirós

Primeiro grande êxito literário de Eça, este romance é marcado por uma análise minuciosa da sociedade de seu tempo. O autor usou da ironia, da linguagem coloquial e direta e, principalmente, do olhar atento sobre o cotidiano para revelar a intimidade da vida burguesa. Luísa é casada com Jorge e leva uma vidinha tão segura quanto entediada. O sonho, o romantismo e o desejo são despertados pela chegada do primo Basílio a Lisboa. Ao optar pelo adultério como tema central, a intenção do autor era provocar a discussão.





É isso espero que tenham gostado  e não deixem de acompanhar as novidades aqui do blog.
Beijos!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

 renata massa